AFINAL, QUAL É A MARCA PESSOAL DA MULHER?

women marca pessoal

Este artigo foi escrito em uma sexta feira de Carnaval, após uma quinta de pré-carnaval onde tive a oportunidade de acessar lugares meus que me causaram muita dor e tristeza e depois eu descobri que aquela dor iria abrir uma porta muito linda da minha vida que eu tinha trancado e jogado a chave fora. Minha Coach (pois toda Coach que se preza tem uma Coach para chamar de sua) disse que eu não estava sabendo lidar com aquilo por não ter experiência e que eu precisava experienciar, arriscar mais neste ponto para eu poder saber lidar e foi isto que fiz e hoje estou aqui feliz escrevendo para vocês já que me atrevi e reinventei este meu ponto que não passava de um infundado medo dentro de mim.

Foi escrito especialmente para o site do PB Brasil –  um grupo de profissionais de Marcas Pessoais supervalorizadas do qual tenho a honra de participar desde a sua formação, junto com o querido Adriano Tadeu Barbosa e idealizado pela competente Daniela Viek. Este grupo, hoje, conta com um vasto time de grandes profissionais das áreas de Marca Pessoal , Marketing Pessoal e Personal Branding que nos fortalece pelo compartilhar de nossas experiências com todos os colegas de profissão uma vez que não acreditamos na concorrência, mas, sim, na união de uma classe.

Se você também acredita na força da união, e trabalha nas áreas de Marca Pessoal, Marketing Pessoal e Personal Branding junte-se a nós. Temos muito trabalho pela frente e precisamos de pessoas especiais como você.

AFINAL, QUAL É A MARCA PESSOAL DA MULHER?

Agora, caso seja uma pessoa que sabe que precisa aprender a arte da gestão da Marca Pessoal, fique aqui conosco pois com certeza poderá usufruir dos melhores profissionais do ramo no Brasil, sem falsa modéstia.

Entrem. A casa é sua, sejam sempre bem-vindos.

A história da desvalorização da mulher vem desde a escolha de Eva entre o desejo e a obediência. Considero que nós, mulheres, vivemos hoje uma das fases mais delicadas de nossas vidas. Até pouco tempo não tínhamos, voz, vez e nem valor. Mesmo assim, muito honro nossas ancestrais uma vez que só somos e vivemos o que vivemos porque elas existiram.

Entendo que passamos por muitas e diferentes fases: lutamos muito, ganhamos, perdemos e ainda permanecemos na luta, mas sei que conseguimos, enfim, chegar ao momento onde nos é dado voz, vez e valor.

Que maravilha você poderá estar pensando. Tudo está certo e resolvido, a guerra foi vencida!!! Só que não!!! Algumas batalhas, sim, foram vencidas, mas agora temos um desafio tremendo pela frente.

O desafio é que agora temos a voz, a vez e o valor, mas não estamos sabendo lidar com tudo isto. A mudança foi grande em muitos pontos, noutros não. Tudo foi muito acelerado. Nos entregaram um título de Mulher Maravilha, que está sendo muito desafiante e, por isso, vejo muitas mulheres desvalorizando sua Marca Pessoal por não saberem lidar com todos os desafios atuais, inclusive sentindo-se pressionadas a ficar no posto que estão como se tudo estivesse bem.

Passamos a ter “um arsenal de coisas para ser e fazer”, mas não nos foram tiradas ainda nenhuma das “coisas das mulheres de antigamente” (diga-se de passagem, ainda bem!). Ainda somos, filha, irmã, amiga, namorada, esposa, amante, dona de casa, mãe e não preciso dizer o quão pesado é administrar tudo isto aliado ao posto de “Mulher Maravilha”, à TPM e todos os nossos hormônios que muitas vezes nos deixam em situações delicadas.

Ah!… E associado a tudo isto, vem a cereja do bolo, que na maioria das vezes tem sabor de jiló, que é a pressão da ditadura da beleza porquanto querem nos convencer que a mulher precisa ser eternamente linda, magra, elegante e jovem.

Até pouco tempo, quando pleiteávamos cargos elevados e de nível intelectual mais alto, antes só ocupados pelos homens, eles pensavam e agiam assim: “não tem jeito, vamos ter que deixar esta mulherada entrar aqui no nosso meio, elas são duras na queda e não vão desistir fácil, porém para entrar em nosso mundo terão que se vestir como homens”. Em razão desse pensar, a mulher que se atreveu a estes cargos, para ser ouvida e respeitada, não viu outra possibilidade do que se render ao terninho preto com camisa branca, “uniforme” que usou por tempos para poder ser vista, ouvida e respeitada como uma “Mulher de negócios”.

Durante anos e anos muitas mulheres tiveram um guarda roupa profissional lotado de ternos pretos, variando somente a parte de baixo entre a calça e a saia abaixo do joelho com meia. Os cabelos presos, maquiagem invisível e acessórios mini, unhas, sempre brancas e bem curtas. Um verdadeiro engessamento da essência da mulher que é múltipla, leve, versátil, inovadora.

Vivi um pouco desta fase, mas, a situação já era outra: tinha um guarda roupa de ternos variando somente a parte de baixo entre calça e saia, mas já foi outra coisa, pude variar nas cores, usei pouco preto. Nossa Silvana Lages, que bom que passou, hoje podemos ir vestida de mulher para o ambiente corporativo!!!

Sim, podemos, graça a Deus, mas o que me assusta até hoje é se você for ao Google e pesquisar na aba de imagem as seguintes palavras – Executiva- Mulher no trabalho- Mulher de sucesso – o que vai encontrar em 90% dos casos são 50 tons de preto, disse tons de preto, não de cinza (kkkk).

Fico triste por esta esmagadora imagem dos 50 tons de preto ainda imperar, mesmo diante do lindo trabalho da executiva Sheryl Sandberg, e da agência Getty Images, (http://revistadonna.clicrbs.com.br/lifestyle/projeto-cria-banco-de-imagens-de-mulheres-reais/) que vêm se empenhando em mudar o estereótipo da Mulher que é múltipla e precisa ser vista assim pois defendem que:

Quando observamos imagens de mulheres, homens ou crianças, somos levados pelo senso comum e caímos no exato estereótipo que queremos quebrar. E você não pode ser aquilo que não pode ver.”

Que trabalhos como este da Sherryl e Agência Getty Imagens possam tomar força o mais rápido possível.

Depois que foram criadas as princesas da Disney, a Marca Pessoal de valor de uma mulher, por muito tempo, foi tida como a da princesa linda, meiga, delicada, alta, magra, olhos claros, rica, e que fica à espera do príncipe encantado para ter o sonhado final feliz. Isto é, até nossos dias, subliminarmente vendido como Vida de Princesa, vida dos sonhos para as mulheres.

Nós, mulheres, precisamos de muito ajuda, apoio e atenção para podermos agregar valores em nossa Marca Pessoal. Por causa da nossa liberdade atual e de todos os desafios que acima citei, muitas vezes, inclusive eu, nos pegamos tentado replicar a Marca da Mulher Maravilha, das princesas, das rebeldes sem causa… e isto é um peso muito grande além de não corresponder à verdade e muito menos à realidade.

Há pouco tempo, Esther Soares Proença – uma jovem mestra de quase 90 anos, muito sábia, inteligente, culta, leve, de quem sou fã de carteirinha, estava falando sobre esta necessidade de ainda manter nos dias de hoje este aprincesamento das mulheres ao invés de sempre focar nas mulheres atuais independentes, capazes de brilhar e progredir na vida pelas próprias competências e esforços. Por isso, faço minhas as palavras dela:

“Acho que as princesas de hoje só podem ensinar que, sem competência e sem qualidades próprias, e com corrupção, o Reinado desmorona, alguém rouba sua coroa, raspa seus cabelos e descola sua peruca. E, ainda, sem um diploma universitário, jogam a boneca na cela comum. ” 

Se você quer desfrutar mais deste poço de sabedoria, que é a minha Estherzinha, acesse http://silvanalages.com.br/de-lavandas-e-tacas-de-consome/

Tenho este artigo como um alerta para com todas as distrações e ciladas enquanto estamos nas nossas incansáveis batalhas diárias e rotineiras para que possamos nos manter firmes e focadas para mostrar ao Mundo a nossa Marca Pessoal como mulheres, livres, capazes, sensíveis, reais, normais, especiais.  Seres que têm seu brilho, suas dores, suas delicias, tudo bem normal. Depois das redes sociais muitas mulheres se cobram uma vida perfeita já que nas redes sociais o que se vê são quadros falando somente de sucessos, só grama verde o tempo todo e nunca o processo de adubamento, muito menos aquela parte que morreu e está sendo replantada.

Não somos a mulher maravilha, mas com certezas somos grandes heroínas em busca do nosso lugar que ainda está meio estranho e confuso, mas, aos poucos, todas vamos encontrado o nosso lugar “certo” neste trem da vida onde somos passageiras como deliciosamente nos poetizou a querida Ana Vilela na sua sábia canção “Trem bala”. Clique aqui

Não precisamos carregar nenhum estereótipo, nem nos perdermos por sermos quem não somos de verdade.  Temos que tomar, sim, muitos cuidados, pois, por sede de liberdade, tem mulher trazendo sensualidade em dose exagerada e imprimindo vulgaridade na sua Marca. Quando a mulher imprime sua Marca de forma errônea ou não correspondente com sua verdade, certamente não está usando a melhor opção para se impor profissionalmente. Por isso, reforço: todo o cuidado é pouco para uma boa fixação de sua Marca Pessoal.

O maior desafio de uma Marca Pessoal é, de fato, conseguir ser representada pela nossa verdade. As pressões, cobranças e necessidades loucas da vida a que “somos obrigadas” a usar quase que na totalidade do tempo estão, de fato, nos deixando sem tempo para sermos a mulher que normalmente está aprisionada dentro de nós, sem tempo para mostrar a nossa verdade. É preciso ter muito “peito” para soltar a nossa mulher e estampá-la na Marca Pessoal, além de muito tempo dedicado ao autoconhecimento para poder entender o que é ser mulher.

Silvana Lages, você conseguiu…. Não!!! isso é um processo em constante evolução!!! Mas, posso garantir que todos os dias tenho evoluído e muito. Além disso, estou me tornando muito mais experiente com estes desafios. Ainda erro muito, mas são erros muito importantes no meu processo de aprendizagem pois eles me impulsionam no meu processo de busca.

Para mostrar que todos os esforços valem a pena, deixo abaixo uma galeria de imagens que retratam este meu contínuo processo de amadurecimento. Isto me faz forte e feliz pois neste processo descobri que minha missão de vida é empoderar mulheres. Por isso, nunca poderei desistir porque tem muitas mulheres que se inspiram na minha jornada para seguirem firmes na caminhada de encontro ao seu “ser Mulher”.

IMG_5366IMG_5359Fino_Traje_(157)Fino_Traje_(177)-6744-Edit-6811-EditSILVANA_ESTUDIO-144SILVANA_ESTUDIO-118

Preciso frisar que Marca Pessoal não se limita somente `a sua Imagem pessoal. Ela é, sim, um importante elemento da Marca Pessoal, mas existe um processo muito maior que o desenterrar da sua essência que são os elementos muito bem citados pelo grande Mestre Arthur Bender, em seu livro Personal Branding: o seu estilo pessoal; a sua postura profissional; a sua linguagem corporal; o que você escreve;  como você se relaciona; onde você mora; sua casa; seu carro; o que você come/bebe /usa; seu estilo de vida; os lugares que você frequenta; o seu hobby; o que você defende; seus amigos; suas atitudes e relações; sua postura nas redes sociais; o que você fala; como fala; onde fala; com que fala; como ouve; sua profissão; sua empresa; seu ambiente de trabalho; seus objetos; seus livros; os cursos que faz; as viagens; as suas experiências e sua reputação.

Caso queira aprofundar, seu conhecimento a respeito, acesse o seguinte link: https://www.facebook.com/SilvanaLages.Coach/videos/614280748766325

Mas, “Afinal, qual deve ser a Marca Pessoal da Mulher? “.

Acho que será difícil termos apenas uma resposta pois tudo ainda está se formando e acomodando no universo feminino, mas, com certeza, não poderão faltar: ética, leveza, beleza, alegria, criatividade, espontaneidade, seriedade, amor, autenticidade, feminilidade, dedicação e muito profissionalismo.

Não importa se você for uma Gari ou uma CEO de uma empresa. Sem trabalhar a sua Marca Pessoal será muito mais desafiante fazer sucesso neste mundo que clama por autenticidade e vemos muitas iguais.

Tenha coragem de ser você. Não será um processo fácil, mas é totalmente possível e quando você chegar lá pode ter certeza que o trem da vida entra nos trilhos e a sua viagem será muito mais gostosa.

Atreva-se

Permita-se

Reinvente-se

Ouse

Permita-se ser feliz

Seja Você

Seja única
Empodere-se
Valorize-se

 

Sobre a Autora:

Silvana Lages

Silvana Lages é uma mulher sonhadora que acredita nas pessoas e por isso as auxilia a nunca desistirem de seus sonhos porque sua experiência de vida lhe mostrou que é de sonhos em sonhos que subimos os degraus da vida e crescemos como seres humanos.
A cada pessoa que auxilia a se sentir inteira com a descoberta de seu verdadeiro eu, ela também se sente mais inteira e mais feliz por estar cumprindo a missão de vida que lhe foi destinada. Para conhecer melhor o seu trabalho visite o seu site www.silvanalages.com.br

 

Leave a Reply